quarta-feira, 8 de abril de 2020

INSENSATO?





Por que essa vontade não cessa em mim,
De dizer, sobre o vulgar, o inusitado?
Tantos, se veem, sentem, deixam assim...
Frustro-me, porém, fico sufocado!

terça-feira, 7 de abril de 2020

CREMAÇÃO EM TEMPOS DE COVID-19


            

        Com a pandemia do COVID-19, a ocorrência de óbitos no mundo é assustadora. Pesquisadores da Universidade de Oxford estima que no Brasil poderão ocorrer 478 mil mortes. O governo chinês impôs a imediata cremação dos corpos em equipamentos nas cercanias dos nosocômios onde os pacientes estavam internados. Países como Itália e Portugal também suspenderam os rituais fúnebres e optam pela cremação. Até mesmo o Irã, que tem como tradição a lavagem dos corpos antes do sepultamento, suspendeu este tipo de ação para evitar a contaminação.
          No Brasil, o Direito Funerário é matéria reservada aos municípios. São Paulo e Rio de Janeiro limitaram o acesso aos velórios – no máximo 10 pessoas – seguido da proibição da abertura da urna funerária. Até o momento não foi exigida a zincada.

APLAUSOS AOS ESQUECIDOS


 
         Aqui se propõe um singelo exercício que haverá de movimentar memórias e sentimentos. É sabido que cada um faz parte de uma equipe específica geralmente delimitada pelos laços consanguíneos e amigos mais próximos. Provavelmente a maioria nasce cercada desse contingente de pessoas que em maior ou menor escala são significativas no decorrer da existência e de alguma forma serão lembradas, considerado um leque de reminiscências.

segunda-feira, 6 de abril de 2020

MORTE E DESLIGAMENTO DO CORPO FÍSICO


  
Morte física e desencarne não ocorrem simultaneamente. A morte física se dá com a morte cerebral. O Espírito desencarna quando se completa o desligamento, o que demanda algumas horas ou alguns dias.

Basicamente o Espírito permanece ligado ao corpo enquanto são muito fortes nele as impressões da existência física.

Indivíduos materialistas, que fazem da jornada humana um fim em si, que não cogitam de objetivos superiores, que cultivam vícios e paixões, ficam retidos por mais tempo, até que a impregnação fluídica animalizada de que se revestem seja reduzida a níveis compatíveis com o desligamento.

sábado, 4 de abril de 2020

AOS ESPÍRITAS NESSA HORA




 
Nossas vibrações são forças que atuam nos contextos onde estamos inseridos, como elementos de sustentação do que designamos por realidade.

Atentemos para esta presente hora, quando a sensação de caos ventila ameaças reais e imaginárias, tumultuando nossos centros de força pessoal, conjugando uma crescente homogeneização da angústia e do medo.

quinta-feira, 2 de abril de 2020

ECOLOGIA NA OBRA DE CHICO XAVIER






Ao longo de 92 anos de existência, Francisco Cândido Xavier testemunhou a mais impressionante transformação já ocorrida na História da humanidade num intervalo de tempo tão curto. Em 1910, quando Chico nasceu na pequena Pedro Leopoldo (MG), o mundo somava pouco mais de um bilhão de habitantes que se concentravam no meio rural (o Brasil tinha apenas 24 milhões de habitantes), e as expressões “meio ambiente” e “desenvolvimento sustentável” sequer existiam, como também inexistia “legislação ambiental”. Desenvolvimento era sinônimo de fumaça. Progresso não combinava com a proteção dos recursos naturais.

quarta-feira, 1 de abril de 2020

162 ANOS DA SOCIEDADE PARISIENSE DE ESTUDOS ESPÍRITAS





Considerada pelo jornalista e escritor espírita Deolindo Amorim (1906-1984), como a primeira sociedade genuinamente espírita, Allan Kardec funda em 01 de abril de 1858, a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas (SPEE).
Para que conservássemos em lembrança, Allan Kardec registra dados da fundação e da sua importância na marcha do Espiritismo, que após a sua morte foi inserido em Obras Póstumas.

Instalada em imóvel alugado, subvencionado por frequentadores que, deliberadamente, resolveram cotizar, foi instalada inicialmente no Palays Royal, galeria de Valois, onde funcionou até 01 de abril de 1859.

NADA SERÁ COMO ANTES...AMANHÃ


          
          Numa época em que a energia elétrica não era tão disseminada, as pessoas utilizavam a incandescência de candeeiros alimentados por querosene. Relatos de testemunhas que vivenciaram os horrores da 2ª Grande Guerra (1945/1949), que felizmente não teve o território brasileiro como palco, informam que durante muitas noites os lumieiros a gás precisavam ser dispostos embaixo das mesas para não chamar a atenção dos aviões inimigos que passavam zunindo o céu noturno, com as populações domésticas apavoradas com a possibilidade de bombardeios. Também relatam que o gás, o pão, a fruta, que já eram escassos nos domicílios mais pobres, se tornaram de aquisição mais difícil e havia solidariedade entre os vizinhos, ambos na escassez. Aquele trágico momento da história deixou terra arrasada, mas a humanidade se refez pedra sobre pedra, numa nova conjuntura, apesar de todas as imperfeições que legitimou essa trajetória.

terça-feira, 31 de março de 2020

CELEBRANDO A MEMÓRIA DO DESENLACE DE KARDEC




Os laços relacionais, conviviológicos, que envolvem nossas estradas como caminheiros sociais não precisam obrigatoriamente amarrar nem desamarrar política e senso de religiosidade e transcendência; há algum arbítrio pessoal e escolhas são possíveis, embora nem sempre as pessoas percebam as escolhas que podem de fato fazer.

Escolhi há algumas décadas aproximar a vida do legado kardequiano, pois sentia lacunas incômodas no meu próprio senso religioso e buscava mais do que já sabia possuir, e ao sair da fase juvenil, a realidade foi sendo mastigada com ânsias e amargores, descobrindo que as receitas (até mesmo as caseiras) podem não saciar todas as fomes.

segunda-feira, 30 de março de 2020

"ESPÍRITAS, AMAI-VOS..."


 
 
“Espíritas, amai-vos...”

Em 31 de março de 1869, retorna à Pátria Espiritual o magnânimo codificador da Doutrina Espírita, Allan Kardec. Na Sociedade de Paris, em sessão de 30 de abril de 1869, um mês após o desenlace, manifestou-se em um dos médiuns e deixou uma marcante mensagem.
Antes de iniciarmos a apresentação do seu conteúdo, urge-nos refletir sobre a importância dessa comunicação, desde que, certamente, muita coisa ele poderia dizer a respeito da doutrina que ajudou a edificar, ainda mais que teve a oportunidade gloriosa de se manifestar em tão pouco tempo decorrido de sua desencarnação. Contudo, seu trabalho específico de elaboração da parte intelectual doutrinária já tinha sido realizado com sucesso e ele precisava ressaltar, agora que se encontrava na Espiritualidade, o que é mais essencial de tudo que ajudou a trazer a lume dos sublimes ensinamentos da excelsa Doutrina do Consolador Prometida por Jesus.

sábado, 28 de março de 2020

DESEJO NOBRE




Desejo de expressar a gratidão
Pelo belo de Deus em toda parte...
Encantamentos para o coração...
Contudo, como dizê-lo sem a arte?

sexta-feira, 27 de março de 2020

ESPÍRITO DE SISTEMA



 
A palavra sistema é bastante utilizada atualmente, representando um conjunto de programas que executam tarefas definidas em sua programação de trabalho, especialmente considerando a realidade virtual, hoje totalmente expandida nos diversos segmentos sociais.

Por outro lado, também pode representar um padrão de condução de uma empresa, ou um sistema de vida, pessoal ou familiar, com critérios escolhidos livremente, como bem sabemos da condição humana e seus variados comportamentos, suas múltiplas escolhas. Em síntese, podemos dizer que é uma maneira de se conduzir, transformando-se em hábitos ou costumes, que acabam estabelecendo padrões de comportamento, saudáveis ou não.

quinta-feira, 26 de março de 2020

SÍNTESE DA VIDA NO ALÉM TÚMULO



Conquanto haja kardequeólogos de plantão que andam rejeitando os livros do Espírito André Luiz, particularmente sigo por outros caminhos, acolhendo as revelações do autor de “Nosso Lar” e de outros Benfeitores com serena confiança. Em face disso, discorreremos se na dimensão dos espíritos realmente existem casas, templos, escolas, hospitais, ruas, árvores, parques.

Com certeza por “lá” não há “vasos sanitários” e mictórios. Lamentavelmente existem “romances mediúnicos” que não passam de abusos ficcionais criados por “médiuns” obsedados. Há um dilúvio desses “romances” alucinantes narrando que no além os espíritos se casam, copulam e geram filhos, sim! Reproduzem!!! Afiançam que pela fecundação, há a gestação, o nascimento dos “bebês” (pasmem!) Contam até que por “lá” o espírito morre, (morre!? meu Deus!!!) sobrevindo o sepultamento dos seus restos perispirituais em cemitérios d’além-túmulo. (Isso é consequência de médium com distúrbio psicológico, com certeza!)

quarta-feira, 25 de março de 2020

AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO



          Há uma verdadeira discussão de linguagem quando nos defrontamos com o substantivo Amor e o verbo Amar. As controvérsias são tão inúmeras que é comum perdermos a maior parte do tempo discutindo a significação sem que alcancemos a condição de colocar os termos em prática. Por serem palavras que sintetizam várias compreensões, Jesus as referiu inúmeras vezes em suas prédicas, afinal ele sabia que o seu verbo ecoaria milênios afora.

terça-feira, 24 de março de 2020

O AMOR, VOCÊ E O "VÍRUS DA MENTIRA"


Metade do alimento produzido vai para o lixo.



“Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; enfermo, e na prisão, não me visitastes.
 Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos não o fizestes, não o fizestes a mim.”
(Jesus)
 
Kahlil Gibran, em uma das suas parábolas sobre a insatisfação e o desencontro, narra a estória do Rei de Sadik, que diante da insatisfação dos seus súditos, entrega-lhes a coroa e o cetro. Convencendo-os da superfluidade de um governante, foi para os campos e vinhedos trabalhar de mãos dadas com os súditos.
O povo reconhecendo o gesto de humildade do Rei, maravilhou-se e o silêncio caiu entre eles. Contudo, a névoa de insatisfação estava ainda sobre o reino. Nos mercados públicos, a população, os velhos e os jovens gritavam em uma só voz: “Queremos nosso Rei”.

segunda-feira, 23 de março de 2020

CARTAS SOBRE A NÃO VIOLÊNCIA (4) EM TEMPO DE CORONAVÍRUS



 
As revoluções armadas redundam sempre em ditaduras, portanto há uma imposição de uma certa ordem social e novas relações de produção, eliminando-se os que não concordam ou os que faziam parte da ordem anterior. Ocorre que as pulsões humanas de ganância, dominação e poder permanecem intactas naqueles que promoveram e comandam a nova ordem. Assim, temos os privilégios do partido dominante, a tortura e o massacre dos opositores e outras desgraças tão antigas quanto a humanidade. Se as revoluções foram historicamente necessárias, para ensaios de novas formas sociais, e mesmo como manifestação legítima contra as injustiças de um sistema, rapidamente elas degeneraram e praticaram atrocidades idênticas aos regimes que depuseram.

ANTE O COVID-19 EMPREGUEMOS A DISCIPLINA MENTAL E OS RECURSOS DA PRECE


A morte não é o fim, mas a grande libertadora da escravidão carnal, pronunciou Bezerra de Menezes, alertando para que não nos preocupemos em demasia com a presença pandêmica do [coronavírus], cujo momento será mais tarde entendido nas suas razões, nas suas origens e no porquê chegou-nos agora, provocando pânico e dor. 2

Justamente como está ocorrendo nas dioceses da Itália, pois só no dia 20 de março de 2020, houve a morte de 28 sacerdotes católicos diagnosticados com a Covid-19. A maioria atuava na região norte do país. Diante disso, o Papa Francisco preceituou ao arcebispo Francesco Beschi para dar seu apoio aos padres, aos enfermos, aos que cuidam dos pacientes e a toda comunidade católica, pois que estava muito impressionado com o sofrimento que padecem, pela morte solitária, sem a companhia das famílias, tão dolorosa, segundo Beschi. 3

domingo, 22 de março de 2020

O AMOR NOS TEMPOS DO CORONAVÍRUS



          Solicitada a devida vênia a Gabriel Garcia Márquez (autor de O Amor nos Tempos do Cólera – 1ª edição em 1985) por tomar como modelo o título de sua famosa obra para comparar aos tempos diferentes vividos pela humanidade. Certamente não afundamos na primeira batalha contra os seres infinitamente pequenos (bactérias, vírus, protozoários). Basta consultar a história, e ela nos contará sobre os bilhões de homens e mulheres que se despediram do planeta por investidas brutais da Peste Negra (1333/1351), Varíola (1896/1980), Gripe Espanhola (1918/1919) apenas para citar algumas, mas há tantas outras que é possível perceber que vivemos em constante combate. Tão perigosos quanto um terremoto, um furação, uma erupção vulcânica, tão mortais quanto as duas grandes Guerras Mundiais, os nossos oponentes invisíveis, além de deixarem vítimas em seus caminhos forçaram à descoberta de vacinas, medicamentos e novos hábitos. Influenza, Sífilis, Sarampo, Malária, AIDS são alguns exemplos de problemas resolvidos ou em vias de solução depois de pesquisas, mudanças de comportamento e alterações estruturais. Estamos longe ainda de solucionar tantos problemas, alguns alicerçados na fome gerada pela desigualdade social.

sexta-feira, 20 de março de 2020

NÃO ACEITE A CULPA SOCIAL E MANTENA QUARENTENA



  
Nos vemos à voltas com uma situação nova, desafiadora, ameaçadora; ficamos tateando em busca de caminhos e confiança no modo de caminhar. Obviamente, muitos de nós paramos para ouvir as recomendações dos cientistas e preenchermos o vácuo de autoridades que nosso país vivencia seguindo orientações de referências consideradas confiáveis.

As notícias que nos chegam são estarrecedoras! Sentir medo e procurar segurança é muito natural em situações assim. Estranho mesmo é desdenhar os riscos.

quinta-feira, 19 de março de 2020

O ESPIRITISMO ANTE O MERECIMENTO E AS DESIGUALDADES SOCIAIS


A economia do mundo atual está periclitante e não consegue se recuperar da debacle econômica de 2008, aliás, a maior das últimas 8 décadas. Tudo teve início nas quebras de grandes bancos nos EUA, deixando um rombo estimado em quase US$ 3 trilhões. A crise de então se expandiu pelo planeta, provocando amplos cenários de desemprego e recessão. A rigor, as principais economias do mundo ainda não se recuperaram. Apesar de toda essa tempestade econômica, paradoxalmente o número de bilionários duplicou.

quarta-feira, 18 de março de 2020

MODISMOS E POSTURAS DISPENSÁVEIS


  
Estouram periodicamente no movimento espírita, numa alternância facilmente observável de um planejamento perverso muitas vezes nem percebido, ações e posturas – que em muitos casos viram modismos – que são plenamente dispensáveis, pois que inúteis.

São sugestionadas as censuras, as discriminações, as disputas. São escolhidos alguns tópicos ou temas – escolhidos os polêmicos, claro –, e até mesmo alguns livros ou pontos de vistas, que são alimentados pela presunção da sabedoria ou pela pretensão de denegrir. Elegem-se ídolos, constroem-se padrões planejados ou diretrizes como essenciais para direcionar a objetivos nem sempre claros, seguidos por desatentos, desinformados ou seduzidos.

terça-feira, 17 de março de 2020

ABRA A PORTA



  

        O mundo bate a sua porta. Dentro, enquanto escuta as batidas você repassa os seus medos, incertezas, desejos e planejamentos. Há uma queda de braços em seu pensamento. Ao mesmo tempo em que se prepara para se lançar sente como se algo o impedisse do próximo passo. Afinal, não há receita pronta para os próximos minutos, só as expectativas cercadas de possibilidades que podem corresponder ou deixar de corresponder aos seus anseios. Cada momento é nova estratégia, mesmo que repita algo que foi intentado noutro dia.

domingo, 15 de março de 2020

SE BUSCAS...


De paus e espadas, multidão armada
Buscou o Mestre pra prender e matá-lo...
Verdade no Evangelho registrada.
Convém examinar, por que busca-lo?

sábado, 14 de março de 2020

DISCURSO ESPÍRITA SE MOVIMENTA NO BRASIL


  
Movimento deveras interessante tem aparecido na linha discursiva de “consagrados” nomes do movimento espírita brasileiro, que “estranhamente” e felizmente largaram o discurso conservador que serviu como fonte de apoio e votos ao candidato beligerante, e também generecidade política que sustentou o apoio velado ao bolsonarismo.

Podemos analisar tal “regeneração” sob muitos aspectos, haja vista a multiplicidade de ângulos e interesses que tais representações carregam socialmente, contudo, por deliberada escolha, este texto focará na defesa e manutenção do território de fala.

O que é isto em miúdos?

quinta-feira, 12 de março de 2020

O TEMPO E A CONSCIÊNCIA

            

           O Universo é composto por uma Unidade que não se transforma, pois é absoluta, Deus, e uma unidade que sofre a constante ação do tempo e dos fatos, a consciência. A primeira, Perfeita e Imutável. A outra, imperfeita, surgida simples e ignorante, provida de uma capacidade de transformar-se à medida que entra em contato com as experiências naturais do processo de aprendizados através dos incontáveis ciclos reencarnatórios. A unidade primordial, Deus, é de complexa discussão e o seu alcance muito além de todas as tecnologias contemporâneas. Por outro lado a consciência, representando o coletivo do senso que governa a programação humana, é passiva de estudos que promovem uma verdadeira devassa em nossa amplitude civilizatória.

segunda-feira, 9 de março de 2020

CARTAS SOBRE A NÃO VIOLÊNCIA (3)




Anunciamos na semana passada que iríamos refletir sobre a questão: Jesus era mesmo a favor da não violência?

Tolstoi e Gandhi, ao criarem o movimento da resistência passiva, se inspiraram diretamente no Sermão da Montanha. Será que estavam equivocados, ao interpretar Jesus como um pacifista?

domingo, 8 de março de 2020

JESUS E A MULHER


Mulheres brasileiras em luta no Dia Internacional da Mulher
          A luta que a mulher empreende na sociedade contemporânea, ainda comandada pelas tradições derivadas do patriarcado, para ocupar o seu espaço na construção dos destinos da humanidade é um capítulo à parte na conquista civilizatória da Terra. Os passos históricos que vieram paulatinamente mudando os padrões de participação da mulher no mundo foram avanços não lineares transpassados por muita dor, derramamento de sangue e perseguições.    

sexta-feira, 6 de março de 2020

MULHERES ESPÍRITAS À ESQUERDA, SIM!



 
Amélie Boudet (Sra. Allan Kardec)
 
Mulheres espíritas, progressistas e politicamente à “esquerda” marcamos o cenário da contemporaneidade brasileira, nas plataformas plurais de luta por visibilidade de gênero, ocupação do território de fala e direcionamento intelectual dos estudos sobre espiritismo na perspectiva da igualdade de direitos e valores.

Sim, chegou a era da grande transição, e nossos rostos sem medo denunciam o silenciamento que o patriarcado nos impôs na invisível condição de tarefeiras e ativistas vestidas de românticas roupagens, no reinado masculino. Isso não é de Deus, é do poder dominante, agressivo, heteronormativo e violador impune do reconhecimento de igual para igual nas matérias das vivências.

quinta-feira, 5 de março de 2020

A EXPLICAÇÃO ESPIRITUAL PARA AS DOENÇAS CONGÊNITAS E PARA O NASCIMENTO DE SERES COM DEFORMIDADES FÍSICAS


  
As religiões dogmáticas pregam aos seus profitentes o chamado “pecado original”, o qual é apontado como sendo originado pelo erro primário de desobediência de um antepassado remoto chamado Adão.

Com todo o respeito e apreço que tenhamos pelos que acreditam nesse vetusto e ultrapassado preceito, consideramos que não se pode justificar o porquê espiritual do nascimento de seres monstruosos, alguns vindo até a lume desprovidos de alguns órgãos, inclusive do cérebro, caso específico dos anencéfalos, colocando-se a específica culpa ou origem espiritual em seus respectivos ancestrais.

quarta-feira, 4 de março de 2020

CUIDANDO DOS JARDINS E QUINTAIS


      
      
       Há quem acredite que a complexa estrutura do Universo, com todas as suas disposições infinitas nas dimensões macro e micro, incluindo o espetáculo da existência humana, não passa da associação de eventos dirigidos pela casualidade. Há diversas obras escritas exibindo tais teorias. Para quem assim pensa, a inteligência do Cosmo é o resultado de disposições meramente estatísticas e completamente desprovida de consequência, senão a de atravessar a ponte que tem como destinação o mergulho inevitável no nada. Felizmente a liberdade de livre pensar abre espaços democráticos para que crenças dessa natureza possam ser publicadas e são importantes para as conquistas da sociedade contemporânea.

segunda-feira, 2 de março de 2020

CARTAS SOBRE NÃO VIOLÊNCIA (2)


Continuamos aqui as reflexões sobre a não violência, iniciadas na semana passada. Retomando a partir de Jesus, já que é a referência principal dos cristãos, que supostamente são a maioria em nossa sociedade, em suas diversas denominações. Em nome de Jesus, tanta violência já foi cometida e continua sendo propagada e aplicada, que parece importante decifrar sua mensagem.

Os cristãos, em sua maioria, não aceitaram a não violência de seu mestre. Desde os primeiros séculos, promoveram perseguições entre eles mesmos, sem mencionar a virulência contra os pagãos e os judeus, assim que conseguiram se estabelecer como religião aceita no decadente Império Romano. Divergências teológicas provocavam brigas armadas; catequese à força implicava e implica ainda em destruição de outras formas de crença (dos pagãos dos anos 400 às crenças indígenas e afro-brasileiras da atualidade); conluio indecente entre poder religioso e poder do Estado – desde Constantino ao nosso (des)governo atual. Muito ilustrativo é o filme Ágora (ou Alexandria), em que se narra a história de Hipátia, uma filósofa e matemática, que foi trucidada por cristãos, no ano de 415. Apesar de algumas imprecisões históricas, o filme reflete bem o clima da época.

domingo, 1 de março de 2020

JESUS SAI PELA "PORTA DOS FUNDOS"


         

Mangueira levou para a avenida o “Jesus da Gente”, não o do ódio fundamentalista.


           Recentemente, a Justiça negou indenização de R$ 1 bilhão de danos morais, pedida por uma instituição religiosa contra a produtora Porta dos Fundos e Netflix, pela produção do especial de Natal – “A primeira tentação de Cristo” – do grupo de humoristas “Porta dos Fundos”.
          Além da surpreendente iniciativa religiosa, a celeuma criada em torno do especial de Natal permite várias reflexões. Uma delas, não poderia ser diferente, é relacionada ao personagem principal do episódio – Jesus Cristo. E é dele que se apresenta uma situação, dentre as muitas que se enquadram as discussões, é a passagem de Jesus e Zaqueu.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

ESPÍRITAS À ESQUERDA E O MORALISMO ESPÍRITA





Tenho observado cuidadosamente como a popularização da designação “espíritas à esquerda” provoca reações contrariadas entre aqueles que se reconhecem adeptos do Espiritismo.

No entanto, somente para ilustrar o lado oposto, quando Divaldo se intitula de “médium á direita” a reação massiva vem em forma de elogios, gracejos, em total empatia.

Ora, ora, nada mais normal do que a identificação com a “direita” quando a nascente brasileira do que se tornou movimento espírita foi deveras elitizada.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

REVELAÇÃO




 
Nada é, absolutamente, bom ou ruim,
Luz ou escuridão; o mundo é dual.
O ser que ainda, ou já somos, enfim,
Enxergá-las-á como bem, ou mal...

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

CARTAS SOBRE NÃO-VIOLÊNCIA (1)


  
Esta é a primeira de uma série que vou escrever semanalmente e publicar simultaneamente nessa minha coluna de Espiritismo Progressista, replicando em meu blog pessoal e no blog da Associação Brasileira de Pedagogia Espírita.

Há urgência em se falar sobre o tema, porque a escalada de violência no Brasil está atingindo níveis alarmantes: milicianos no poder, policiais militares invadindo escolas, chutando grávidas nas ruas, e indígenas, negros e ativistas assassinados… e mais recentemente, também pessoas de esquerda clamando que contra tais violências e contra as violências estruturais, antigas, que nos marcam cotidianamente, é preciso reagir com violência.

domingo, 23 de fevereiro de 2020

AS LIÇÕES QUE O CARNAVAL ENSINA


            
           Não há de faltar música! A musicalidade permeia e invade as ruas no Carnaval. O povo declara um armistício (suspender a luta). Bandeira branca por alguns dias. Há quem descanse, há quem se canse e alega que dançar é um cansaço que descansa... Vai entender!
            Homens e mulheres em arrastões de alegria, cujas faces se revestem pela fantasia, o disfarce, seguem perfilados pelo poder rítmico de tamborins, surdos e agogôs. Banho de suor e adrenalina jogando para o alto as preocupações de até ontem, adiadas para o dia seguinte do encerramento da folia. Há excessos que precisam ser rechaçados (ver LE q. 713) e surgem onde se aglomera a raça humana, mas muitas lições podem ser pinçadas desses dias atípicos.

sábado, 22 de fevereiro de 2020

CARNAVAL - NÃO HÁ OUTRA DISPOSIÇÃO QUE NÃO SEJA O DA ABSTINÊNCIA ESPONTÂNEA DO FOLGUEDO




  
Não fossem os excessos de toda ordem, o carnaval, como festa de manifestação sociocultural, poderia se tornar um evento como outro qualquer. Há pessoas que buscam fazer da “festa” uma ocasião de perspectiva econômica, oportunizando empregos, abrigando menores, e isso talvez tenha lá o seu valor social. Todavia, a bem da verdade, a relação de custo-benefício do saldo da homenagem a Momo se resume em três palavras: violência, ilusão e sensualidade.

A rigor, o que o carnaval proporciona ao Espírito? Alegria? Divertimento? Cultura? É de se perguntar: será que vale a pena pagar preço tão elevado por uns dias de insano delírio coletivo?  Muitos histéricos adoradores de Momo destroem as finanças familiares para degustar a atração efêmera de curtir três dias de completa demência. Marmanjos e donzelas se abandonam nas emboscadas viscosas das drogas lícitas e ilícitas.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

IGREJA CONSERVADORA: NICHO DO RETROCESSO POLÍTICO


     
 

Nas ricas memórias da minha juventude católica abraçada com a poesia da Pastoral da Juventude do Meio Popular, guardo as gratidões ao sentido religioso de uma vida em sociedade, sendo povo e com o povo.

Desde aqueles dias Jesus aparecia descalço em nossas visões juvenis. Era um de nós, porque estava em nós e conosco.

Discutíamos o conservadorismo das alas que nos rejeitavam e apresentávamos no altar da vida os sonhos que mobilizavam nossas próprias forças, na luta por presentes e futuros felizes, mas o que me faz pensar com mais carinho naquela experiência vivida era o quanto pensávamos no outro, e não apenas em nós mesmos.

VIVA A TERRA VIVA


                 

         A existência humana é um constante desafio. Toda a nossa evolução ancestral demonstra o quanto perseguimos, enquanto espécie constituída, a conquista de patamares mais elevados de realizações e de bem estar. Desde a descida das árvores, a aquisição da habilidade de caminhar sobre dois pés, a utilização das virtudes do fogo, o domínio da linguagem falada e da escrita, bem que mostram o quão distantes estamos de alcançar estágios de crescimento que o futuro resguarda. É inimaginável até para o mais privilegiado sistema matemático determinar tal limite, talvez porque não haja um limite conhecido.   

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

DESSERVIÇO AO ESPIRITISMO


 


Quem estuda e conhece os fundamentos da Doutrina Espírita sabe seu significado e importância em favor da Humanidade. Isso gera uma consciência enorme de responsabilidade, convidando-nos a posturas de retidão, humildade e principalmente comprometimento com a causa espírita.

Não é preciso alongar-se nesse parágrafo, de vez que as orientações são claras, estão definidas e precisamos vive-las. Eis o desafio constante do cotidiano. Corre-se, entretanto, o risco de perder-se essa noção, face às fragilidades pessoais que todos trazemos. É quando prestamos um desserviço ao Espiritismo, prejudicando a nobre causa, em situações ainda tão comuns entre nós:

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

ESPIRITISMO NÃO INSTITUCIONAL, NOSSA LIBERTAÇÃO


 
A necessidade de uma escrita sistemática sobre os efeitos da institucionalização do espiritismo no Brasil, desponta com muita força nestes dias de reflexão, como sinais de um tempo que pede renovação, para não desligarmos nossas intenções da referência divinal em nossos atos.

Institucionalizar o senso de religiosidade tem ajudado ou atrapalhado os processos de espiritualização humana?

domingo, 16 de fevereiro de 2020

DOR E SOFRIMENTO



A dor de Mariana: A lama cobre tudo. E o sofrimento também

 "A dor não surge apenas por estimulação periférica, mas também por uma experiência da alma, que reside no coração" (Platão).

Dor dissociada do sofrimento

Ao lado da dor intensa, chegando até a ser desagradável, podem ser sentidas sensações de medo, ansiedade, angústia e desespero. Nesse caso, o sofrimento resultante é quase sempre associado, confundido com a dor ou até mesmo realçada por ela. O importante é saber dissociar a dor do sofrimento, porquanto se pode sentir dor sem sofrimento e sofrer muito sem a presença da dor.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

PRA NÃO DIZER QUE FALEI DA DORES


              
              

               O que são as dores? Conceitualmente são um conjunto de sensações físicas, emocionais ou psicológicas que produz incômodo e sofrimento. Podem ter o caráter agudo, daí passageiro, ou crônico se permanecem por muito tempo e classificadas em contínuas, cujo nome já define ou intermitentes quando tem períodos de analgesia.
            O poder que exercem na rotina do mundo é incalculável, tanto quanto a compreensão de sua intensidade em quaisquer circunstâncias que se apresentem. Impossível delimitar quem é mais ou menos sensível aos seus chamados, pois há uma série de fatores que implicam nessa sensibilidade. Não dá para dizer que esse ou aquele é mais “duro” ou “mole” para a dor, pois essa medida é completamente inabordável pelas condições neurofisiológicas, emocionais e espirituais envolvidas em seu processo e desencadeamento. 

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

SEM KARDEC É FANTASIA






Existe um ideário espírita fantástico? Acredito que sim. E já caminhei saltitante ou recolhida dentro dele, pelas vielas de uma fé que tudo explicava, até mesmo as coisas das quais agora duvido.

O gosto pelo fantástico está em meu olhar, e com ele dou mergulhos em histórias que me arrastam de casa, ganhando minhas atenções de leitora ávida por criatividade. A fantasia descansa a mente, mas não convém que a levemos para todos os ângulos da vida.