domingo, 18 de fevereiro de 2018

SEM SE ILUDIR







Para todos nós que buscamos periodicamente os recursos dos tratamentos espirituais, em qualquer crença – na forma de entender e praticar de cada um, o que naturalmente deve ser profundamente respeitado –, é preciso entender que há um detalhe fundamental na questão: os recursos existem, são reais, podem até curar, mas necessitam da ativa participação do paciente, especialmente por meio da vontade, do querer, do esforço por melhorar-se.
Sejam benzimentos, passes ou outros recursos, a participação do beneficiado é decisiva.

sábado, 17 de fevereiro de 2018

ESPIRITISMO E POLÍTICA



             


             

              Peter Drucker (1909-2005), escritor, professor e consultor administrativo, visto como um dos maiores visionários do século XX, para os considerados efeitos da globalização, afirmou que se esse século confirmou alguma coisa, é a inutilidade da política. Para ele, é impossível creditar as transformações sociais do século XX aos eventos políticos criadores de manchete. Entende-se que a dinâmica da política partidária não gerou resultados sustentáveis para a sociedade como era de se esperar.
          Se se voltar a análise para o Brasil, esse quadro se torna mais dramático, principalmente nos dias atuais. Percebe-se, portanto, que essa conclusão não é privilégio de Drucker.
          É provável que esses fatores, somados a outros, sejam a determinante para que alguns espíritas se afirmem apolíticos e o tom da afirmação às vezes sugere que a política é “profana” para a Doutrina Espírita.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

CONSUMO DE CARNE NA VISÃO ESPÍRITA







Entrevistei o engenheiro agrônomo e professor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da UNESP-Botucatu (SP), Edson Ramos de Siqueira – que é espírita desde 1993 e vincula-se ao CE Irmão Thomaz na mesma cidade. Palestrante e ministrando cursos de Espiritismo, é autor do livro Alimentação e Evolução Espiritual, com abordagem sobre os animais, inclusive sobre a alimentação humana. A íntegra da entrevista, com lúcidas respostas, ainda inédita, oferece a lucidez do pensamento espírita. Reproduzimos aqui os trechos mais expressivos das respostas.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

SURFAR¹



       

       O surfe (do inglês surf) é um esporte, cuja prática consiste em manter-se sobre uma prancha enquanto a mesma sofre uma intensa pressão de ondas em arrebentação. O verbo derivativo de tal prática, surfar, traduz uma ação própria daquele que se encontra com a proposta de manter o equilíbrio apesar das pressões que ameaçam gerar quedas a todo o momento. 
          Traduzindo esses esclarecimentos preliminares, que importam aos amantes dessa modalidade esportiva, para as situações vivenciadas pelas pessoas na produção de suas providências e soluções, é possível por analogia dizer que todos surfam de alguma forma quando visitados pelas marés da existência.