quarta-feira, 19 de junho de 2024

O ABORTO COMO QUESTÃO DE FÉ

 

Por Jorge Luiz

           A questão n.º 344, de O Livro dos Espíritos, afirma que o Espírito, como ser preexistente, une-se ao corpo no momento da concepção, mas não se completa senão no momento do nascimento. O grito, dizem os Espíritos, que então escapa de seus lábios, anuncia que a criança entrou para o número dos vivos e dos servos de Deus. Na questão n.º 358, os Espíritos são enfáticos: “Há crime sempre que transgredis a lei de Deus. Uma mãe, ou quem quer que seja, cometerá crime sempre que tirar a vida de uma criança antes do seu nascimento, pois impede uma alma de passar pelas provas a que serviria de instrumento o corpo que se estava formando.” Na questão seguinte, os Espíritos acrescentam que na hipótese em que a gestação ponha em risco a vida da mãe, sim, o aborto é admissível, considerando que: “Preferível é que se sacrifique o ser que ainda não existe a sacrificar-se o que já existe.

segunda-feira, 17 de junho de 2024

O CRISTIANISMO E A TEOLOGIA DO DOMÍNIO

 

Por Jorge Luiz

        As últimas eleições ao cargo principal do Brasil fizeram emergir um fenômeno  sociopolítico que, até então, desenvolvia-se de forma sub-reptícia e tendo como pano de fundo o cristianismo. Estou me referindo à Teologia do Domínio, que teoriza a tomada do espaço público pela Igreja, defendida por algumas das principais lideranças neopentecostais, até então sem muito aprofundamento para o vulgo.

            O que vem a ser a Teologia do Domínio?

sábado, 15 de junho de 2024

A MAIOR DE TODAS AS POTÊNCIAS

 

 

Por Doris Gandres

“É pela vontade que dirigimos nossos pensamentos para um alvo determinado. A vontade é a maior de todas as potências... Cada alma é um foco de vibrações que a vontade põe em movimento...” Léon Denis (livro O Problema do Ser)

Lamentavelmente (ou não), o homem não tem plena consciência do que verdadeiramente significa a vontade. Essa potência rege toda a nossa vida, mesmo quando dela não nos damos conta. Não nos basta simplesmente pensar; não nos basta simplesmente sentir; não basta simplesmente querer... É necessário que essas três capacidades do Espírito recebam um impulso forte, profundo e direcionado a um determinado fim, determinado objetivo, se pretendemos realizar ou alcançar seja o que for.

quarta-feira, 12 de junho de 2024

A BÍBLIA E A ESCRAVIDÃO

 


Por Jerri Almeida

A escravidão fez parte das sociedades desde a mais remota Antiguidade. De acordo com as especificidades de cada povo ou sociedade, os escravos poderiam ser prisioneiros de guerras ou mesmo pessoas que, por não poderem pagar alguma dívida, eram conduzidas àquela condição. Havia, também, o fato de pais que vendiam os próprios filhos como escravos.