sábado, 11 de julho de 2020

REPENSANDO O PROGRESSISMO ESPÍRITA


Antes de pegar a rota de qualquer caminho discursivo declaro amor e adesão ao Espiritismo sob as descobertas, revelações e orientações de Allan Kardec, o mestre lionês que conquistou espaço científico e filosófico com abertura à religiosidade materializando com estudo, pesquisa e muita doação de si mesmo, a Doutrina dos Espíritos.

Partindo então de uma identidade kardecista, saudamos leitores que demonstram interesse pelo tema discorrido, acreditando que no final de todas as questões, haverá algum tipo de conquista, em acordo com a capacidade, necessidade e aptidão que tenhamos conquistado na arte do viver.

sexta-feira, 10 de julho de 2020

MISTANÁSIA (PARTE 2)


 “ROUSSEAU, PESTALOZZI, HIPPOLYTE RIVAIL, KARDEC (CONTINUAÇÃO)
            A coluna que sustenta a Doutrina Espírita é sabidamente Jesus, sua ética e ensino universais. Sem controvérsias, a sua passagem pelo planeta foi o marco que semeou a mensagem que haverá de libertar, a todo aquele que a entenda, das amarras da escravidão moral que caracteriza a humanidade. Antes de sua vinda pessoal teria enviado prepostos na condição de abre-alas, precursores que assinaram a Introdução de O Livro dos Espíritos, como Sócrates e Platão, entre tantos outros.

quinta-feira, 9 de julho de 2020

DOENÇAS CONGÊNITAS NA ÓTICA ESPÍRITA



Durante o transcurso de uma gravidez, há a possibilidade de o indivíduo em formação ser acometido, em sua integridade biológica, por alguma afecção, causando transtorno no seu desenvolvimento intrauterino e ostentar, ao nascimento, o consequente comprometimento malsão. Em medicina, esse acometimento é denominado de doença congênita.

Para o Espiritismo, um ser que vive após o nascimento, seja qual for a lesão deformante demonstrada, tem forçosamente encarnado em si um Espírito (1). Portanto, qualquer criatura humana, mesmo que seu prognóstico seja o pior possível e o seu tempo de vida muito curto, muitas vezes, alguns minutos ou poucas horas, é digna de respeito e tudo deve ser feito para manter a sua integridade.

quarta-feira, 8 de julho de 2020

BONS MÉDIUNS



Talvez o leitor não tenha percebido, mas Kardec classifica com sabedoria, em quatro grupos, aqueles que podem ser considerados de “bons médiuns”. Está em O Livro dos Médiuns, item 197, no capítulo XVI – Médiuns especiais. O capítulo traz o significativo subtítulo Aptidões especiais dos médiunsQuadro sinótico das diferentes variedades de médiuns. Referido capítulo é precedido por dois outros também específicos: Dos Médiuns (com ampla classificação geral das várias modalidades) e Médiuns Escreventes ou Psicógrafos (esse específico para os conhecidos psicógrafos). Nesses citados capítulos já se pode ter dimensão da variedade de médiuns, pedindo estudo para conhecimento.