quarta-feira, 29 de outubro de 2014

ANTENA ESPÍRITA SE TRANSFORMA EM ANTENA DE LUZ¹

       


Por Roberto Caldas (*)


         Antena Espírita acaba de produzir um tento de excelência. No dia 23 passado protagonizou o lançamento do livro Antena de Luz entre mundos, uma seleção de editoriais entre aqueles escritos nos últimos 5 anos, como parte dos festejos dos seus 8 anos no ar. O ato de lançamento, graças à cordialidade da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza teve lugar no auditório dessa prodigiosa instituição e contou com uma assembleia extremamente seleta de convidados, que permitiram uma vibração especialíssima do começo ao fim.
            A noite realmente foi coroada com uma verdadeira festa, cujo ambiente físico de extrema categoria foi ocupado alegremente por um grupo de pessoas de todas as idades, com a presença de crianças de comportamento exemplar e adultos da mais alta qualidade, uma verdadeira celebração.

domingo, 26 de outubro de 2014

ÁLCOOL - O MAIOR VILÃO




Por Francisco Cajazeiras (*)



O consumo de bebidas alcoólicas no Brasil e no mundo tem crescido de maneira tão alarmante e desastrosa que cerca de 90% das pessoas já fizeram uso dessas substâncias.
Nos Estados Unidos, a indústria do álcool e de outras drogas vem mobilizando recursos da ordem de 80 bilhões de dólares anuais.
Essa realidade pouco conhecida da população transforma o álcool no maior vilão da saúde pública, em nosso País, reduzindo a “expectativa de vida saudável” do brasileiro, de acordo com o Relatório Mundial de Saúde 2002, divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
O álcool etílico é uma droga livre (e bem aceita pela sociedade) que causa grande transtorno social e é responsável por prejuízos financeiros imensos para o Estado, para a sociedade, para a família do doente e obviamente para ele próprio, além dos incontestáveis males à saúde.
Por tudo isso, o álcool é a droga que mais mata no mundo inteiro.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

TRADUTOR, TRAIDOR

             

Por Sérgio Aleixo (*)



         
Fiel à sua condição estatutária de integrante da “escola” rustenista e demonstrando concordar com o opúsculo Os Quatro Evangelhos de J.-B. Roustaing — Resposta a seus Críticos e a seus Adversários (1883), a Federação Espírita Brasileira ousou contrariar o Codificador neste ponto de A Gênese: cap. XV, n. 66. Fez registrar em nota de rodapé à tradução de G. Ribeiro os seguintes dizeres, ainda dados a público em novas edições:

            (1) Nota da Editora: Diante das comunicações e dos fenômenos surgidos após a partida de Kardec, concluiu-se que não houve realmente vão simulacro, como igualmente não houve simulacro de Jesus, após a sua morte, ao pronunciar as palavras que foram registradas por Lucas (24:39): — “Sou eu mesmo, apalpai-me e vede, porque um Espírito não tem carne nem osso, como vedes que eu tenho.”

            Os inimigos de Kardec sempre insistem em que logo após a sua morte algo de revolucionário apareceu em termos de fenômenos e de comunicações mediúnicas. Todavia, para qualquer estudioso da codificação kardeciana e, sobretudo, do vasto acervo enfeixado nos tomos da Revista Espírita, isto não é uma verdade absoluta.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

TRANSPIRAMOS O UNIVERSO¹

                                            


Por Roberto Caldas (*)



            A ideia de divisão que é detectada pela nossa compreensão diante dos diversos aspectos de nossas atividades é mera ilusão perceptiva. Estamos mergulhados em um tecido nervoso universal que se constitui em um padrão de continuidade de vibração. Coisa alguma que se passe dentro desse campo estruturado deixa de corresponder, de forma mais ou menos ampliada em toda a coletividade, dependendo do nível de afinidades reinantes. Toda atitude pessoal transfere para o sistema integrado uma nova orquestração de energia, enquanto é influenciada pelo ambiente invisível que a envolve.
            Ao tratar desse tema em O Livro dos Espíritos, questionados a respeito da existência do vazio absoluto no Universo (q. 36), os Mensageiros da Codificação respondem: “Não, nada é vazio. O que imaginais como vazio é ocupado por uma matéria que escapa aos vossos sentidos e aos vossos instrumentos”. Podemos avaliar a expressão matéria utilizada nessa resposta em uma compreensão mais elástica, para que o entendimento se faça mais claro. Atualmente se tornou muito comum a utilização do conceito de rede para se criar a perspectiva em que nos vinculamos uns aos outros, de forma completamente anexada.

domingo, 19 de outubro de 2014

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL: EM BUSCA DA CONSCIÊNCIA E DA PERSONALIDADE¹




Júlio Peres (*)




As neurociências têm trazido importantes avanços relativos à compreensão da “linguagem” neural. Por exemplo, o treinamento de controle de um braço robótico através de um circuito fechado de interface cérebro-máquina é possível hoje em macacos, e num futuro próximo possivelmente ocorrerá em humanos (Nicolelis and Chapin, 2002). As implicações terapêuticas serão marcantes em vítimas de traumas que interromperam a comunicação entre o cérebro preservado e a motricidade dos membros.

O desafio maior de uma parte considerável das neurociências é decifrar como correntes de pulsos elétricos/químicos, varrendo o sistema nervoso central são, de alguma maneira, traduzidas em consciência, pensamentos e emoções. A despeito dos avanços, a possibilidade da leitura computacional da linguagem neural não esclarece a questão da criação ou mediação cerebral em relação aos fenômenos mentais. Contudo, a hipótese de que a mente seja um epifenômeno (subproduto) neural motivou pesquisadores a reproduzir artificialmente as redes computacionais visando em última instância a criação do “Eu”.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

ABRAÇANDO NOSSAS CRIANÇAS¹

            

Por Roberto Caldas (*)


              Determinou a Sabedoria Divina que o renascer fosse a forma adotada de evolução espiritual para todos os Espíritos projetados para povoar os milhões de mundos que circulam em torno das estrelas de variada grandeza que cintilam universo afora. A obrigatoriedade dos renascimentos, alcançando toda a gama de seres vivos, plenifica na espécie humana a sua refinada estratégia evolutiva baseada na justa Lei de Causa e Efeito, aquela que agrupa anseios complementares, e apontam para a troca de experiências através do processo educativo. 
            É nesse cenário de reciprocidades que recebemos afetos e desafetos do passado na figura frágil da criança, que aporta aos nossos lares, produzindo em nossos olhos o brilho diante de tão formosa aparição que emociona e enleva. Através da candura dos seus movimentos gráceis, eis que mergulhamos os adultos, nos mais profundos sentimentos de carinho que nos faz completamente desarmados e prontos para o atendimento de suas mais mínimas necessidades, entre elas a de proteção.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

EDUCAR SIM, CERCEAR JAMAIS





Por Gilberto Veras (*)


No dia em que as pessoas assimilarem com plenitude a realidade que as compõe, o poder formidável de realização que detém guardado em sua intimidade e com ínfimo aproveitamento, não se permitirão conduzir pelo outro que, também, mal se conhece. Somos um tesouro de forças adormecidas, inexploradas, desconhecidas, de nossa potencialidade estamos utilizando o mínimo da capacidade de que fomos contemplados pelo Pai da Vida, e essa parte ativa, relativamente minúscula em todos, é de dimensão singular em cada um, pois depende de acertos acontecidos em momentos de escolhas que não se apresentam da mesma forma nem em igual quantidade na história de vida dos espíritos, criados, no dorso do tempo que não para, em ação permanente e amorosa pelo Insondável, Criador de tudo como é e como está (espírito e matéria), portanto é natural a compreensão incontestável de singularidade que ocupamos no universo humano em que estamos inseridos, somos perfectíveis, é verdade, porém ninguém, num determinado instante, está exatamente no estado de aperfeiçoamento que alcançamos. Outra verdade que não cabe dúvidas é a inacessibilidade ao íntimo do semelhante, a inviabilidade desacredita qualquer avaliação de valores intrínsecos do outro pelo apreciador ao lado, seja qual for a superioridade intelectual deste em qualquer área do conhecimento humano. Afirmo que nenhuma pessoa pode identificar com certeza inquestionável o sentimento vivenciado pelo próximo porque tais ocorrências acontecem na privacidade do indivíduo que pode externá-las com sinceridade ou não, também quero aqui lembrar que não devemos, para não agredir leis divinas imutáveis, cercear liberdades de criaturas, pois essa prerrogativa, o livre-arbítrio, é sagrada por ter sido concedida pela Inteligência Suprema Criadora.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

ACERTOS E ERROS



Por Alkíndar de Oliveira (*)


A querida educadora Joanna de Angelis diz que nós devemos analisar nossa vida sob o “ponto de vista espiritual”. Na mesma linha de pensamento o eminente médico indiano, Deepak Chopra, diz que nós devemos enxergar nossa vida com os “olhos d’alma”. Seres interexistentes que somos, às vezes nos esquecemos deste fato. Temos por hábito analisarmos nossos problemas sob os “olhos da carne”, como também diz o já citado médico indiano. E aí vem o sentimento de culpa! Sentimento este altamente destruidor. Ensinam os espíritos que o arrependimento produtivo é bem vindo, pois que nos induz à mudança de comportamento. Mas, o sentimento de culpa é estagnante. Por que nos martirizarmos pelos nossos erros se sob olhos de Deus eles não existem? Para Deus tudo é aprendizagem! Caro(a) leitor(a), você pode estar pensando “Como? Quer dizer que eu nunca errei?” E outras indagações podem surgir: “Um ladrão não errou ao roubar?” “Um assassino não errou ao matar?” “Uma pessoa não errou por desejar o cônjuge do próximo?” Estas perguntas, além de sensatas, são carregadas de muita lógica, pois se existem leis que nos induzem aos acertos, é porque, em contrapartida, os erros podem ocorrer. Não questiono sua lógica, caro leitor. No entanto, este artigo está alicerçado num outro ponto de vista. Num ponto de vista mais superior do que nossa simplista lógica terrena. Vamos às explicações: Imagine um cubo colorido com as seguintes características:
a) Ele é enorme. Cada face tem 5m de altura por 5m de largura;
b) Ele está sobre uma imensa mesa de vidro transparente;
c) Cada face do cubo tem uma cor diferente das demais;
d) A face A, amarela, é a base do cubo. Está assentada sobre a mesa;
e) A face B, azul, é a parte superior do cubo. Ocupa posição oposta à face A;
f) As demais faces são de cores branca, preta, vermelha e marrom.

sábado, 11 de outubro de 2014

ANTENA DE LUZ



Por Paulo Eduardo (*)


Fosforescência. Brilho incomum. Antena de luz entre mundos. Luminosidade. Claridade de raciocínio na projeção de um livro. Autoria de Roberto Caldas. Autor médico. Saúde espiritual. Ele repercute pelo viés da literatura ao assumir a responsabilidade de produzir o editorial do programa Antena Espírita. Faz autêntica tarefa jornalística. Propaga ideias dentro da ótica espírita, com incursões sociológicas e outras vivências de primeira linha. Roberto Caldas o médico editorialista admitiu publicar seus editoriais. A equipe do programa Antena Espírita apoiou,

terça-feira, 7 de outubro de 2014

TRABALHO COLETIVO, HUMILDADE OBRIGATÓRIA¹

                

Por Roberto Caldas (*)


            Qualquer que seja o projeto de construção coletiva em andamento, independente dos seus objetivos finais, carece de norteamentos e princípios, cujas ausências levariam a uma coleção de fracassos. Especialmente naqueles projetos de iniciativa humanitária, nos quais se instalam uma visão de resultados relevantes ao bem comum, a maior providência a ser tomada, antes mesmo do início de sua consecução, é o REALINHAMENTO entre as pessoas que o compõem. Esse princípio é de importância capital para que se alcance êxito em qualquer caminhada, desde a constituição da família nuclear (pai, mãe e filhos) até a construção dos grandes empreendimentos de relevância social.

domingo, 5 de outubro de 2014

RELATIVO ÀS ELEIÇÕES NO BRASIL¹

                                            

Por Roberto Caldas (*)


            O período eleitoral que vivemos em terras brasileiras não poderia deixar de ter conotações típicas da condição espiritual que experimentamos na atual etapa evolutiva. Um tempo de renovação de extrema conturbação, quando defrontamos com graves problemas de caráter e extremas dificuldades para visualização dos cenários pretendidos. Sempre é muito difícil estabelecer padrões de decisão diante de painéis que não definem com clareza uma trajetória destituída de medos. Medo é o estado da alma quando visitada pela desesperança, quando percebe que o discurso de mudança é apenas uma peça de manipulação engendrada pelo vício esculpido no comportamento que o passado estampa.
            Espíritos encarnados que somos, investidos de compromissos em uma sociedade compartilhada em todos os aspectos, precisamos atender à demanda de fazer a diferença que a ética particular nos impõe. Compreender que o vazio presente entre a teoria e a prática é diploma de apresentação a tantos quantos preferem o disfarce lamentável, na tentativa de enganar os outros, quando apenas conseguem angariar problemas para o futuro que os aguarda na presente encarnação ou ainda depois de sua finalização alcançado o seu ocaso.

sábado, 4 de outubro de 2014

REFLEXÕES




Por Paulo Eduardo (*)


Textos para reflexões. Necessidade de expor temas capazes de ensejar aprendizagem. São lições que a vida em família nos proporciona. Respeito e confiança. Paciência e tolerância. Recheio de coragem e firmeza para encarar o lastro família. A vida é um presente valioso que se renova diuturnamente a cada amanhecer.
As notícias estão presentes na mídia numa repetição incômoda da insensatez que produz guerras e crimes em plena vigência do século XXI de tanta esperança reflexiva. Refletir a fim de alcançar metas de evolução.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

KARDEC: O APÓSTOLO DA FÉ


“...Era tão evoluído em sabedoria e amor, que os
   Invisíveis o qualificavam de Apóstolo da Fé,
Pontífice da Luz, Lúcido Apóstolo de Jesus.”
(Zeus Wantuil e Francisco Thiesen)
                


Por Jorge Luiz (*)
 
Allan Kardec - (1804-2014) - 210 anos do seu nascimento

            - Eis-te à frente do apóstolo da fé, que sob a égide do Cristo, descerrará para a Terra atormentada um novo ciclo de conhecimento...
            Com essa saudação, as Vozes do Céu apresentam o Espírito Hipolyte Léon Denizard Rivail, a uma assembleia de Espíritos comprometidos com o progresso moral da Terra. O dia: 31 de dezembro de 1799. Local: no coração da latinidade. Um magnífico espetáculo da Espiritualidade Superior! Motivo: a reencarnação de Hipolyte Léon Denizard Rivail, que termina ocorrendo no dia 03 de outubro de 1804.
            Espíritos sábios e benevolentes se fizeram presentes. Não só latinos, mas gregos, israelitas, franceses. Encarnados e desencarnados. O Espírito Napoleão, desprendido do corpo físico, era destaque naquela assembleia. A narrativa é do Espírito Irmão X, pela pena mediúnica de Francisco C. Xavier, inserto na obra Cartas e Crônicas.
            Nos dias atuais, em que muitos líderes religiosos se autoproclamam apóstolos, o que realmente define um apóstolo?

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

O FUTURO DEPENDE DE CADA UM DE NÓS





“Descrença, corrupção e incredulidade, eis, pois, senhores, o sumário de todos os sintomas que oferece o país sob o tríplice ponto de vista por onde o consideramos.” Deputado Bezerra de Menezes – 04.06.1867.


Por Francisco Castro (*)



                O cenário atual do nosso País não é muito diferente daquele denunciado por Bezerra de Menezes na segunda metade do século XIX. Diariamente os noticiários, seja do rádio, da televisão ou dos jornais impressos, denunciam em todos os níveis da vida do povo brasileiro, situações de corrupção e violência em todos os setores da sociedade, o que leva o cidadão comum a pensar em medidas extremas tais como prisão perpétua e pena de morte.
            Qual seria a saída para esse estado de coisas? Haverá saída perguntará e dirá o mais cético, não seria melhor se aproveitar o momento e também tratar de tirar proveito da situação? O mundo está perdido mesmo! Ora, se o paciente está gravemente enfermo nada nos autoriza a deixa-lo morrer sem buscar um socorro.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

NOSSA SENHORA DA TERNURA



Por Dora Incontri(*)


Notre Dame de la Tendresse - Sérgio Prata

Controvertida questão, para muitos fechada pela resposta negativa, para outros tantos óbvia pela resposta positiva: devemos orar a Maria? Protestantes, católicos, espíritas – os de tradição cristã – mostram posições diferentes. Para mim, podemos orar a quem nos sentimos ligados pelos laços seculares do coração. Maria representa para milhões de almas, o aconchego divino e materno, a lembrança que reconforta o coração. Mãe atávica, milenar; mãe que representa todas as mães. Sou sim dos oram para Maria, dos que encontram nela a ressonância de Espírito materno, sempre.

EMOÇÃO




Por Gilberto Veras (*)



O felídeo caçador,
uma gata mansa e dócil,
em atenta posição de espreita,
visava a presa,
pássaro recém nascido paralisado na superfície da piscina.
O homem de coração sensível logo percebeu e,
com cuidados especiais,
resgatou da água imprópria a banho dos minúsculos
a criaturinha em estado de falência (estaria morto?).