sábado, 24 de janeiro de 2015

FAÇA UMA NOVA POLENTA





Por Alkíndar de Oliveira (*)


Quando uma empresa implanta, por exemplo, o ISO-9000, ela passa – durante o processo de implantação – por uma saudável efervescência. Uma boa liderança sabe aproveitar do objetivo comum a ser alcançado e energizar todo o seu pessoal. Nessa fase a motivação costuma estar presente. É um momento de saudáveis, e às vezes ásperas, discussões, é o momento da visão compartilhada, é o momento de desafiar o estabelecido, é o momento em que todos sabem qual foi o caminho apontado, é o momento da motivação contínua. Até que, num dado momento, o processo se completa, o objetivo foi atingido, o ISO-9000 foi implantado.
A partir daí haverá um certo esmorecimento por parte do pessoal. A motivação desaparece, pois não há mais caminho sendo apontado. O objetivo já foi atingido.
Se a liderança não ater-se à essa questão, a tendência é a empresa começar a descer os degraus da competência, da criatividade e da produtividade.
O processo citado é semelhante ao ato de fazer polenta (ou angú, como a polenta é conhecida em alguns estados do nosso país).

É preciso colocar os ingredientes na panela, e então começar a mexer, mexer e mexer sem parar. Mexer a polenta é, de forma análoga, aquele momento em que a empresa está tendo todo o seu pessoal sendo energizado pelo fato de estarem unidos para atingir um objetivo comum.
Aí a polenta fica pronta.
O cozinheiro não tem mais o que mexer.
É o momento de aproveitar do que foi feito. É o momento de comer a polenta. Esqueça o que foi feito e coma a polenta. Pois se não comê-la, seis horas depois já não mais estará tão saborosa. No dia seguinte começara a azedar.
De forma semelhante, quando um determinado processo findar no seu Centro Espírita, coma-o, isto é, saboreie-o e esqueça-o. Não fique cantando os louros da vitória. É passado.
E invente alguma outra coisa.
Se não fizer isso, em pouco tempo sua instituição começará a ficar insossa e logo-logo irá azedar.
Faça uma nova polenta.
Seu Centro Espírita não pode deixar de fazer polenta. Ao acabar uma polenta, comece a fazer outra.
E agora, faça bastante polenta. E que seja numa panela bem grande. Assim você passará muito mais tempo tendo que mexer. Em outras palavras estabeleça uma meta audaciosa para seu Centro Espírita. Assim o seu pessoal ficará energizado muito mais tempo.

(*) consultor de empresas, professor de comunicação verbal, palestrante e escritor espírita.


4 comentários:

  1. Sempre saímos ganhando - nós espíritas -, quando pessoas como o Profº Alkíndar, capacitadas para o mundo lá fora, contribuem com nosso movimento, trazendo suas ricas ideias, criatividade e leveza. Kardec, que prezava tanto as ciências, também tiraria largo proveito da Administração, se essa ciência fosse desenvolvida de tal forma, em meados do séc. XIX. Aliás, ele soube gerir como poucos.
    Everaldo
    Viçosa do Ceará

    ResponderExcluir
  2. Caro Everaldo,
    Isso é gestão. Escrevi artigo recente sobre a gestão espírita. Estamos tentando requentar uma polenta feita há cerca de 60 anos atrás. Há a necessidade de repensarmos a gestão espírita urgentemente.

    ResponderExcluir
  3. Blog. esta ficando cada dia melhor....Parabens!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fransé!
      Valeu pelo estímulo!
      Forte abraço!

      Excluir