sábado, 30 de junho de 2018

A RECEITA DE TIA GRACE







Como vencer a depressão? Como vencer a solidão? Como voltar a ter gosto pela vida?

Certo dia, Nardi estava arrumando alguns pertences, quando encontrou um livro encadernado. Ao abri-lo constatou, com surpresa, que se tratava de um diário. Maior o seu espanto ao verificar que eram anotações pessoais de Grace, uma tia-avó já falecida. Nardi convivera algum tempo com ela, durante a infância, e lembrava-se bem de sua maneira de ser. Seu traço marcante era a jovialidade. Curiosa, Nardi abriu o diário.
Leu,   surpreendida,         que    Grace enfrentara situação difícil, tormentosa mesmo, na juventude. Conheceu um rapaz, apaixonou-se. Namoraram, noivaram, marcaram a data do casamento.

Então aconteceu a tragédia: ele faleceu num acidente. Foi terrível! Todos os seus sonhos de um lar feliz, abençoado por filhos, ruíram como mero castelo de cartas. Sem pretender casar-se, porquanto o amor que dedicava ao noivo preenchia todos os espaços de sua vida, todos os anseios de seu coração, Grace escreveu no diário:
— Sei que minha situação não vai mudar, o noivo não vai voltar. Portanto, quem deve modificar-se sou eu. Algo devo fazer para sair da desolação em que estou vivendo. Tenho meditado sobre meus problemas. Para superá-los, estabelecerei um conjunto de normas simples que procurarei pôr em prática. Queira Deus este plano me liberte da desolação em que vivo.
E orou, pedindo a Deus a inspirasse no seu propósito. Como sempre acontece quando   oramos de coração contrito, o Senhor não a deixou sem resposta.
Sob inspiração de generosos mentores espirituais, que vinham em seu socorro, Grace compôs a receita salvadora que passaria a nortear sua existência.
Era feita de seis regrinhas simples que poderia colocar em prática imediatamente.
1 – Fazer algo por alguém;
2 – Fazer algo por si mesma;
3 – Fazer algo que não tenha vontade, mas deve ser feito;
4 – Fazer um exercício físico;
5 – Fazer um exercício mental;
6 – Orar, agradecendo a Deus a dádiva da existência.
Limitara-se àquelas regras por sentir que representavam um desafio viável, a que poderia dedicar-se sem maiores problemas.
E tratou de colocá-las em prática.
***
Podemos viver como quem cumpre uma receita? — pergunta agora Nardi.
E responde ela mesma:
— Só sei que, desde que comecei a seguir esses preciosos preceitos, tornei-me mais dedicada aos outros e, consequentemente, menos preocupada comigo mesma.
—Deixando a lamentação, adotei o lema de tia Grace:  Florescer onde estou plantada.
Acrescentaríamos outra expressão sábia da tia Grace:
— É preciso sair do sarcófago do egoísmo.
Deixar a exacerbada preocupação com nosso bem-estar, conscientes de que estaremos bem sempre que nos mantivermos em movimento, jamais esmorecendo, em face dos desafios da existência humana.
Adaptado do livro Uma Receita de Vida, de Richard Simonetti
***
Um dos mais potentes antídotos para a depressão é ver as coisas de uma maneira bem diferente, procurando fugir das atitudes de auto piedade, exercitando boas ações, que melhoram a saúde, aumentam a felicidade e preenchem as vidas vazias e sem sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário