sábado, 23 de janeiro de 2021

BLOGANDO EM VERSOS DE ESPERANÇA

 


É sábado na rotina

De blog no ciberespaço,

Mas a tarde se espreguiça

E quase me vence o cansaço!


Agora não me vem fôlego

Para um artigo de impacto…

Mas a poesia me ronda

E tira leite de cacto!

 

Os tempos são tão difíceis

Que a exaustão bate à porta

Todo dia a reavivar

A esperança quase morta!

 

São empeços no trabalho

Desencontros, deserções,

Que carregamos no peito

Contundidos corações…


São horizontes tão turvos

Que quase se apaga o céu

São cristãos que esquecem Cristo

E andam no mundo ao léu!

  

 Mas vem-me em visita a musa

Espírita, calma e forte

Que levanta meu olhar

E transcendo a própria morte!

 

– O mundo foi sempre assim!

Diz-me ela com doçura –

Um lugar de luta e dor

Onde a alma se depura!

 

Todos os que se deram

Para a semeadura boa

Sofreram e pelejaram

Mas não sofreram à toa!

 

Como bem disse o Mahatma

O bem anda como lesma

Mas chegará à sua meta

Que de todos nós, é a mesma!

 

A meta do bem comum

Da grande fraternidade

Da florescência do amor

Para toda a humanidade!

 

Cabe-nos, pois, a paciência

De uma lenta semeadura

De um arado que não pára

De uma esperança segura!

 

 Que em passagem nessa terra

Sejamos rastro de luz

Porque à frente, em nossos passos

Caminha o mestre Jesus!

Um comentário:

  1. Aplausos. Chega em boa hora. Obrigado Dora. Roberto Caldas

    ResponderExcluir