segunda-feira, 8 de maio de 2017

DIVALDO FRANCO - ESPÍRITA, HUMANISTA, PACIFISTA



 



Nascia em 05/05/1927, na então desconhecida cidade de Feira de Santana, Bahia, uma pessoa, cuja biografia qual meteoro luminoso conseguiria ao longo de 90 anos dar uma volta em torno do planeta. Literalmente Divaldo Pereira Franco, apenas Divaldo para os milhões de pessoas que se iluminam com a sua vida missionária, tem quilometragem e resultados que provavelmente lhe confere recordes alcançados apenas por aqueles que entregam a sua vida nas mãos de Deus.

            Os seus primeiros embates, no entanto estiveram longe de ser tranquilos. Se tivesse nascido nos dias de hoje provavelmente seria diagnosticado na qualidade de autista ou alguma outra caracterização compatível. Quando criança já percebia o mundo espiritual. Via os Espíritos se acotovelarem entre os encarnados e sofreu profundo mergulho quase cataléptico que perdurou bastante tempo após o falecimento de dois irmãos queridos, situação restabelecida quando aportou à casa espírita. Desenvolveu as suas primeiras atividades espíritas ao mesmo tempo em que iniciava a sua vida profissional como funcionário público em Salvador, aposentado desde 1980. Enfrentou todos os tipos de desconfiança seja na sociedade civil diante do preconceito religioso, quanto na população espírita pelas críticas à publicação de suas primeiras experiências psicográficas.
            A partir do final da década de 1970 passa a proferir as suas palestras e escrever obras mediúnicas que contabilizam milhares de conferências e centenas de livros que espalham sob a nomenclatura espírita uma estratégia de paz e renovação para o mundo. Atualmente é reconhecido e laureado em institutos, organizações e casas legislativas do Brasil e do exterior tendo recebido por parte da Embassade Pour La Paix (Genebra, Suiça) o título de Embaixador da Paz no Mundo, em 30/12/05.
            Divaldo Franco terá, com o passar dos anos, incorporado o que há de mais importante ao divulgar a mensagem espírita, o saber-se partícipe de uma transformação que não reside na opinião ou na atitude de uma pessoa isolada. Populariza a realidade do mundo espiritual para que cada vez mais homens e mulheres se identifiquem na qualidade de Espíritos imortais, divulgando as orientações doutrinárias e consoladoras assimiladas na única fonte que torna o Espiritismo essa doutrina que enfrenta sem temor a mudança dos conceitos e valores humanos com o passar dos anos: o controle universal do ensino dos Espíritos (Evg Introd. II).
            Peça fundamental da divulgação espírita no mundo, esse homem que completa 90 anos é um socorrista da dor humana. A sua palavra convincente ressoa em milhares de ouvidos, entre aqueles que repensaram as suas vidas a partir de suas orientações amigas. As bênçãos de sua psicografia haverão trazido ao norte de suas vidas, milhares de seres que se afogavam em dores e aflições morais, talvez pelas raias do pensamento suicida.
O nosso mundo precisa fazer coro a todo projeto humano que ajude no atendimento de tamanhas necessidades, pelas quais passa a humanidade. Por essas e tantas outras razões precisamos festejar as pessoas que conseguem fazer diferença no mundo, pelo exemplo, dedicação e entrega. Divaldo Pereira Franco, sob as luzes de Jesus é uma dessas pessoas. Um homem Espírita, Humanista, Pacifista.   
              

Um comentário:

  1. Francisco Castro de Sousa9 de maio de 2017 21:07

    Meu Caro Roberto Caldas, poucas pessoas conseguiriam, em espaço tão breve, fazer um relato biográfico tão completo de Divaldo Franco e com tanto brilho como você conseguiu. Parabéns!!!

    ResponderExcluir