quinta-feira, 11 de abril de 2013

O LÍDER EDUCADOR





Por Jorge Luiz (*)





            Todos os significados e funções que se possam atribuir ao centro espírita deverão ter como sua resultante maior, a formação de uma comunidade moral. 
            Para que isto se concretize as atividades nele desenvolvidas deverão ter como linha mestra a educação espírita, forjando sua cultura, estruturada na essência filosófica-espírita, que faculta ao homem uma nova visão de si e do mundo.
            Sendo a Doutrina Espírita obra de Educação, o dirigente espírita tem que ter em seu perfil competência para educador, sem esquecer que também é educando em processo. O líder educador espírita é interativo e invoca a troca de conhecimento. Mobiliza a si e as pessoas a construir processos direcionados ao autoconhecimento, pela educação espírita.
            Faz-se necessário, no entanto, que se elabore projeto pedagógico para o centro espírita observando as peculiaridades do meio onde se está inserido e do público frequentador. O projeto terá que demonstrar o educando como Espírito encarnado dotado de potencialidades íntimas, singularidade, e a felicidade como determinismo divino, que alcançará através das experiências terrenas. Favorecerá a consciência de si mesma e o desdobrar do seu glorioso destino.

            Quando Allan Kardec em “O Livro dos Médiuns” orienta pela constituição de grupos pequenos, onde a homogeneidade de sentimentos é mais fácil de ocorrer, como educador que foi, está implícito em seus comentários que a prática pedagógica será também mais fácil de desenvolver.
            É preciso entender que esse projeto deve contemplar a interação do educando em todas as suas atividades. Sem isso jamais o centro espírita enfrentará os desafios da contemporaneidade. Sem projeto pedagógico centrado na figura de Allan Kardec e Jesus, tornamo-nos vulneráveis às práticas alienígenas já disseminadas, transformando a dinâmica espírita em seita estanque, ignorando-se o aspecto revolucionário do Espiritismo no qual deve se assentar a sua base essencialmente pedagógica.
            O líder educador deve estimular o ativismo social espírita, favorecendo interface da cultura espírita com a contemporaneidade, em fluxo fomentador de atores em papéis multiformes, dialéticos e estruturantes sociais.
            Todos esses afazeres pedagógicos fomentarão a educação espírita, que trabalharão para refazer o homem interior restabelecendo sua saúde moral.
            É preciso que fique claro que o líder espírita não necessita ser professor, mestre ou doutor em educação, mas ter a consciência do que representa essa dimensão no contexto do ideal espírita. Indispensável, no entanto, é o conhecimento em profundidade da Doutrina Espírita, em seu caráter didático e pedagógico.
            Características de líder educador espírita:
a)        age sem saber e sem querer, apenas por causa das suas intenções e seus exemplos de conduta;
b)        afirma-se acima de tudo pela sua maneira de Ser;
c)        provoca entusiasmo pela sua conduta, nunca empregando a discussão ou a pressão;
d)        é naturalmente admirado, respeitado e imitado pelas suas ideias, pela sua energia, pela coerência das suas atitudes e palavras, pela lição constante dos seus gestos, do seu comportamento;
e)        é estimulador das qualidades das pessoas,  incentivador positivo, pois a vida em grupo é feita de recíprocos inventivos e sugestões;
f)     influencia e convence as pessoas com facilidade, levando-as a viverem os conhecimentos espíritas através do seu modo de ser;
g)        não dá “lições” ou “sermões”, ele usa técnica de relacionamentos, com eficácia, por meio do seu comportamento.
h)        promove espontaneamente, contínuas oportunidades de preparação e treino para  uma vida mais produtiva e realizadora espiriticamente.

            Multiplicam-se a criação de instituições espíritas sob os mais diversos interesses, poucas, no entanto, com o propósito de promover a educação do Espírito. Não foi por acaso que o prof. Herculano Pires advertiu que: “Se os espíritas soubessem o que é o Centro Espírita, quais são realmente a sua função e significação, o Espiritismo seria hoje o mais importante movimento cultural e espiritual da Terra.”  Isto foi escrito em 1980!
                       

(*) livre-pensador,  voluntário do Instituto de Cultura Espírita.
                       

Um comentário: